Capa / Alta Floresta / TIRO E QUEDA, por Altair Nery

TIRO E QUEDA, por Altair Nery

Alta Floresta voltou figurar nas páginas policiais devido uma Operação da Polícia Federal, cujo assunto é comercio ilegal de ouro. Na Operação batizada de Operação Céu Dourado, a PF confiscou dois aviões, um na Capital e outro em Colíder, mas os nomes dos proprietários não foram revelados.

As ordens judiciais foram expedidas em Goiás e combatem a extração e venda ilegal de ouro por empresas ligadas ao comércio e exportação de minério.

Segundo a PF, cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Cuiabá, Apiacás, Colíder, Colniza e Alta Floresta. No entanto, ninguém foi preso no Estado.

No entanto, a informação é de que a polícia sequer veio para a cidade, uma vez que a Operação de ontem é na verdade a sequencia de outra ocorrida há duas semanas, esta sim, com ações em Alta Floresta

No total, 26 mandados judiciais foram cumpridos em Mato Grosso, Goiás e São Paulo.

A operação

A investigação começou a partir da apreensão de 110 quilos de ouro avaliados em mais de R$ 20 milhões, no 10 de junho deste ano, no aeroporto de Goiânia.

Com isso, foram detectados indícios da participação de empresas na emissão de notas fiscais falsas com o intuito de acobertar a origem ilegal do ouro.

Apurou-se também que uma das prováveis minas, de onde teria sido extraído parte do ouro apreendido, não estava em funcionamento, o que corrobora a tese de que o ouro é de origem ilegal e está sendo esquentado pelos investigados através de empresas de fachada.

Ficou constatado que apesar de uma das empresas envolvidas atuar na exportação de ouro para a Europa, não há registro de comércio exterior em seu nome.

Estão em apuração os crimes de usurpação de matéria prima da União, crime ambiental e falsidade ideológica.

Mudando de assunto

O site Noticia Exata publicou ontem uma reportagem de uma onça jaguatirica que foi encontrada morta na MT 208, provavelmente atropelada, na altura do “trevo Chapéu de Couro”, que dá acesso à Nova Monte Verde pela 208 e Paranaíta pela 206.

O atropelamento de animais silvestres em Mato Grosso, especialmente na nossa região, é constante, mas chama a atenção para este caso, o fato de que a onça é um dos felinos mais perigosos que existem e ela foi localizada “bem próximo” da área habitada. No entanto, ainda que seja um “predador”, nada justifica o “abate”, se é que houve abate, não é mesmo?

E também faz com que entendamos que é necessário redobrar as atenções nas rodovias, constantemente animais silvestres como antas, ou porcos do mato são encontrados mortos às margens das rodovias, eles podem não só morrer, como também causar acidentes com proporções graves, todo o cuidado é pouco.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top