Capa / Alta Floresta / Após três meses do início do ano letivo, alunos da Escola Benjamin de Pádua ainda usam carteiras emprestadas para estudar

Após três meses do início do ano letivo, alunos da Escola Benjamin de Pádua ainda usam carteiras emprestadas para estudar

Bruno Felipe / Da Reportagem

Imagem Ilustrativa

Antes mesmo de iniciar o ano letivo, a Escola Benjamin de Pádua, localizada na avenida Ariosto da Riva, vem passando por grandes transtornos, uma vez que não existem carteiras suficientes para atender todos os alunos e os banheiros estão em situação caótica com infiltrações; além disso, quando chove ha infiltração também dentro das salas de aula, segundo afirmação de parlamentares. A reportagem do Jornal O Diário vem acompanhando esta situação desde o início do mês de fevereiro onde a líder do executivo na Câmara, a vereadora Aparecida Sicuto apresentou a denúncia após visitar a unidade escolar. Conforme apurado pela reportagem do Jornal O Diário, as aulas da rede municipal iniciaram no dia 18/02, porém, a escola precisou pegar emprestado algumas carteiras da Unemat para que os alunos pudessem estudar, já que as antigas, segundo Cida, estavam deterioradas.

Outro problema apontado na unidade, desta vez pela vereadora Elisa Gomes (PDT), é em relação as estruturas do pátio da escola, onde existe uma parte do teto que está sem cobertura e na hora do recreio as crianças ficam por muitas vezes impedidas de brincar no local. Durante a 3ª Sessão Ordinária de 2019 a vereadora Aparecida Sicuto (PSDB) apresentou um requerimento solicitando ao Prefeito Asiel Bezerra para que enviem informações sobre o procedimento licitatório para futura e eventual aquisição de carteiras escolares e reforma da Escola Benjamin de Pádua. Ela havia afirmado que não existe nenhuma licitação para a reforma e aquisição das carteiras na prefeitura, por isso apresentou o requerimento.

Na época, em entrevista para a reportagem do Jornal O Diário, Cida havia dito que procurou a Secretaria Municipal de Educação para saber as providências que estão sendo tomadas e soube que a unidade escolar em questão foi a única da rede municipal que não recebeu reforma para o início do ano letivo 2019. Segundo Cida, uma licitação chegou a ser realizada para a reforma da unidade, porém, a licitação deu-se por deserta (ou seja, nenhuma empresa foi contemplada), com isso, uma nova licitação está sendo aguardada para a reforma das estruturas. Enquanto isso, Cida ressaltou que os próprios professores da unidade estão repaginando a escola com tintas doadas pela população. Sobre a questão das carteiras, a secretaria havia a informado que brevemente a questão seria resolvida, porém, já estamos no final do mês de abril e até agora nenhuma atitude foi tomada. A reportagem tentou por diversas vezes falar com a Secretária de Educação Maria Iunar, porém, não conseguimos êxito logo que a secretária estava ocupada cumprindo compromissos de agenda.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top