Capa / Alta Floresta / “O senhor está errado, se posicione no seu lugar”, ‘disparou’ parlamentar durante discussão de projeto que altera dispositivos do regime interno da Câmara

“O senhor está errado, se posicione no seu lugar”, ‘disparou’ parlamentar durante discussão de projeto que altera dispositivos do regime interno da Câmara

Bruno Felipe / Da Reportagem

Os ânimos de alguns vereadores se arrefeceram na sessão ordinária da Câmara Municipal desta terça-feira, dia 26 de novembro durante a votação do Projeto de Resolução nº 003/2019. O projeto que parecia ter votação tranquila, altera alguns artigos do Regimento Interno da Câmara Municipal. Um deles em especial transfere o uso da Tribuna pela liderança do Governo Municipal na Câmara sempre após todos os vereadores terem se pronunciado, uma forma de dar possibilidade ao líder do Governo Municipal, que atualmente é a vereadora Cida Sicuto, de responder algumas questões levantadas pelos colegas parlamentares durante o decorrer da sessão. O Projeto é de autoria dos vereadores Emerson Machado, Cida Sicuto, Cidão, Luiz Carlos, Marcos Menin, Reinaldo de Souza (Lau), Mendonça e Demilson Nunes.

O vereador Marcos Menin, no uso da Tribuna, afirmou ser favorável ao projeto, alegando que a liderança de governo existe para defender o prefeito, “às vezes a politicagem é feita aqui dentro, de repente o tamanho da plateia, e aí ela tem como defender, se ela (vereadora Cida) é líder, ela está aqui para defender o prefeito e trazer a verdade”, afirmou durante seu pronunciamento. O vereador Dida Pires se pronunciou logo em seguida e afirmou que o termo do vereador Menin não caiu muito bem. “Politicagem só se for de parte de vossa excelência”, direcionou, “porque o que tratamos aqui é o respeito à sociedade e o trabalho com decência, agora vossa excelência que é da base já foi com certo tom de agressividade em virtude desse projeto, então o senhor está errado, se posicione no seu lugar e se atenha ao respeito com os companheiros”, disse Dida.

Visivelmente incomodado com a fala do colega parlamentar, Menin logo tomou a Tribuna novamente em seu direito de resposta. “Eu não usei o nome de ninguém, se a carapuça serviu eu não tenho culpa”, cutucou. O parlamentar ainda complementou, “eu só estou falando da minha parte, se eu fosse o líder, eu queria isso também; se eu estou defendendo uma pessoa eu vou até o final”, concluiu Menin. Apesar de ter sido aprovado, o projeto teve os votos contrários dos vereadores Elisa Gomes, Mequiel Zacarias e Dida Pires. Em entrevista para a reportagem do Jornal O Diário, o vereador Mequiel afirmou que a alteração, especificamente sobre a fala da líder do governo, é uma forma de possível favorecimento. “Por exemplo, se você fala uma coisa e o líder do prefeito vai lá por último, sempre fala por último, vai ser como se ele sempre tivesse a razão, como se fosse a “última palavra”, disse ele.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top