Capa / Alta Floresta / Servidores filiados ao Sintep apontam que avaliação do Processo Seletivo municipal não está sendo bem conduzida

Servidores filiados ao Sintep apontam que avaliação do Processo Seletivo municipal não está sendo bem conduzida

Bruno Felipe / Da Reportagem

Foi realizada na tarde de ontem (13/12), uma assembleia geral do Sintep/MT em Alta Floresta, com o objetivo de discutir algumas ações do sindicato. Além dos informes gerais, os servidores da educação discutiram sobre a situação do edital de Processo Seletivo Municipal Educacional nº284/2018 lançado recentemente pela prefeitura; a grande queixa dos profissionais é quanto à forma de como a avaliação está sendo conduzida. De acordo com a presidente da subsede do Sintep em Alta Floresta, Ilmarli Teixeira, além de critérios como taxas de isenção, o teste possui pagamento de taxa com padrão de concurso público e privilégios a um pequeno grupo que possui formação continuada “Não trazem transparência e a empresa (que vai aplicar a prova) vem de outro estado e isso sequer gera recursos para o município; temos uma série de questionamentos para que a gente possa ampliar, debater e discutir, na pior das hipóteses o cancelamento do teste seletivo”, ressaltou Ilmarli em entrevista ao Jornal O Diário.

Vale ressaltar que a partir de hoje (14/12), encerram-se o ano letivo da rede municipal de ensino, mas o problema do processo seletivo continua já que existem mais de 60% da rede com contrato temporário. Vale lembrar que todo ano é feito o contrato temporário para suprir as necessidades do trabalho pedagógico em sala de aula. Ilmarli ressaltou que irá continuar com as cobranças junto ao Ministério Público e Câmara Municipal. “Nós precisamos de respostas e soluções, continuarei cobrando o MP e a Câmara, e continuaremos buscando o diálogo e estabelecer o processo e o princípio democrático da educação”, disse Ilmarli.

Durante a assembleia fora discutido também a situação do congelamento do RGA dos servidores do estado para o ano que vem. Na semana passada o Governo, por meio de Nota Técnica, comunicou o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) que não terá condições de pagar a revisão Geral Anual (RGA) deste ano como foi acordado com o funcionalismo público. O acordo com os servidores previa o pagamento do benefício em duas parcelas, a primeira, de 2% sendo paga em outubro e a segunda, de 2,19% no mês de novembro. Em maio deste ano, o TCE suspendeu o pagamento da terceira parcela do RGA de 2017 apontando irregularidades, além da preocupação com o aumento das despesas com a folha salarial. A corte, no entanto, liberou o pagamento em setembro após o Estado entrar com um recurso. A reposição de 2018, de 4,19% segue suspensa.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top