Capa / Artigos / Tiro e Queda – Quinta Feira

Tiro e Queda – Quinta Feira

Continua repercutindo as afirmações do prefeito interino Ângelo Campos na Câmara Municipal, em sessão ordinária realizada na terça-feira. Uma das afirmações que gerou muita especulação durante o dia de ontem, é que a Justiça iria, provavelmente, dar como resolvido o problema da saúde já que, segundo ofício encaminhado por Campos ao Ministério Público, estavam cumpridas a maior parte das condições da Liminar que afastou o dr Asiel. No ofício, Ângelo teria dito que, todos os postos de saúde já estavam com relógio ponto, que os médicos, todos, estão batendo ponto diariamente, cumprindo as 40 horas semanais e que todos os postos da zona urbana, ou já estão com médico, ou o processo de contratação já está “encaminhado”.

Se já está “encaminhado”, então, não cumpriu o que foi determinado, até porque, quando Ângelo chegou, há um mês, os relógios já estavam todos instalados, faltando apenas o abastecimento de dados. A única coisa que efetivamente foi feita por Ângelo Campos, foi uma reunião com os médicos onde eles, médicos, se comprometeram a “bater ponto”, nada além disso.

Pelo que Ângelo disse na Tribuna, e na Imprensa na terça-feira, “no mais tardar amanhã”, que era ontem, a Justiça iria determinar a volta de Asiel ao comando do município. Pelo menos ontem, no final da tarde, não havia nenhuma determinação de retorno.

Nestes dias em que passou no comando da administração municipal, Ângelo Campos “abriu as portas da prefeitura” para que a oposição, que vem sistematicamente tentando impingir crimes contra a administração municipal, tivesse acesso a tudo quanto é documento.

Eu acho que essa atitude é louvável. Não se admite, em plena vigência de leis severas de controle administrativo, que se esconda algo, se é que se estava escondendo. No entanto, é preciso saber os interesses das pessoas que estão “manipulando” documentos.

Se for para esclarecer problemas administrativos, é louvável, e se assim fizerem, mais louvável ainda, mas se for apenas para complicar ainda mais o quadro que aí está, é temeroso e aí, todo aquele discurso na Câmara, por Ângelo Campos, de que está preocupado com o futuro da cidade, conclamando a sociedade a se unir em torno da governabilidade de Alta Floresta, terá sido mero blá blá blá, para que a imprensa registrasse e que no futuro este momento seja utilizado em intenções político/partidário/eleitoral.

Aí, a fase de Ângelo Campos na administração, que poderia ser conhecida como o período em que um jovem político, agiu com austeridade e competência, passará a ser conhecida como o período em que um jovem político, que achava que sabia de tudo, foi manipulado e serviu aos propósitos de gente que já teve a oportunidade de fazer muito por Alta Floresta, mas preferiu travar o desenvolvimento da cidade para não ter que dar contrapartidas, gente que foi processada por Formação de Quadrilha, mas tinha “advogado” forte e nada era feito. Gente que desviou dinheiro da merenda escolar, que sacou dinheiro de quadra da escola que atenderia crianças da Apae, enfim,  gente que quer a qualquer custo, até por meio de manipulação, voltar ao poder.

“Cego” de vontade de mostrar serviço e provar que as pessoas que o afastaram do Asiel não são dignas de continuar na administração, Ângelo Campos pode estar deixando se levar por “conversa fiada” e aí, quem vai pagar, como continua pagando, é a população de Alta Floresta que assiste tudo sem entender nada e olha sem enxergar de fato o que está acontecendo.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top