Capa / Artigos / Tiro e Queda – Terça Feira

Tiro e Queda – Terça Feira

Chegamos à edição nº 4.028 do Jornal O Diário. No domingo, dia 25 de janeiro, completamos 16 anos de atividade ininterrupta. O Jornal O Diário aos poucos vem se consolidando como um dos mais importantes veículos de comunicação de Alta Floresta. E isso é um grande orgulho para nós. Agradecemos todos os dias à Deus por nos dar força para andar sempre com visão de futuro e à todas as pessoas que nos dão o suporte, seja com assinaturas ou com parecerias para divulgar suas marcas, para que possamos continuar crescendo e valorizando cada vez mais a nossa cidade, com a divulgação e até com os investimentos. Sim, investimentos, porque, há pelo menos 10 anos, estamos construindo a nossa sede própria e/ou renovando equipamentos. Nossa equipe é formada por pessoas que gostam do que fazem, tanto na área de jornalismo quanto na área administrativa. E são estes profissionais, que fazem o O Diário, que merecem toda a deferência e toda a valorização.

Agora sobre política:

O Governo do Estado de Mato Grosso começou a mexer em cargos de órgãos e autarquias em Alta Floresta. No Hospital Regional, segundo a informação que circula pela imprensa da capital, entra José Marcos, que já foi diretor do hospital altaflorestense, na época da ex-prefeita Maria Izaura, que a unidade era “municipal”. É uma pessoa que tem experiência, que já comandou a unidade, mas que terá que demonstrar agora a sua competência. Quando Zé Marcos era diretor do hospital, houve um surto de  casos de infecção de uma bactéria mortal que chegou a vitimar pelo menos 9 pessoas. Os números nunca foram revelados de maneira oficial, no entanto a ação para corrigir o problema foram feitas e uma equipe de profissionais de saúde identificou na época, cerca de 4 anos, que as camas enferrujadas, a falta de limpeza no hospital e até a falta de hidrogel, que é utilizado para higienização  das mãos de enfermeiros e visitantes, havia “colaborado” para o surgimento dos casos. Os números, como já disse aqui, não são oficiais, porque o Zé Marcos, como diretor do hospital naquele momento, não os tornou oficial, mas extraoficialmente, foram 14 casos de contaminação pela bactéria stafilococcus aureus, sendo que 9 pessoas morreram.

Como as condições agora são outras, como a política de investimento agora é outra e como o “patrão de Zé Marcos” agora é outro, esperamos que ele possa por em pratica todo o seu conhecimento em administração hospitalar, e que casos como os que ocorreram quando ele era o diretor, não venham mais a acontecer e vitimar pessoas que vão ao hospital em busca de recuperação da saúde, e não o contrário.

E por falar em cargos do governo, saiu uma lista dos ocupantes de cargos do Detran, dentre eles os novos diretores de Ciretrans. Por enquanto, o atual diretor Sérgio Sávio, não foi trocado.

Mas, se serve como opinião, nem deveria ser trocado, pelo simples fato de que, como diretor da Ciretran, Sergio conseguiu moralizar o órgão em Alta Floresta. O leitor que é mais atento e consegue lembrar de coisas que aconteceram há alguns anos, vai lembrar a “farra” que era na Ciretran há alguns anos. A pessoa tinha um veiculo apreendido e o carro encaminhado para a Ciretran. Se a pessoa tinha fachada com alguém no órgão, ia lá e, no famoso “jeitinho” acabava indo embora com o veículo. Tudo ilegal. Houve até casos de denuncias de vendas de veículos que estavam abrigados na Ciretran. Uma falcatrua atrás da outra. Aí eu te pergunto? Quanto tempo faz que você não houve uma noticia destas? Faz tempo, pelo simples fato de que essa prática não existe mais desde que o atual diretor pôs em prática algumas decisões que deram uma moralizada. Se o que o atual governador procura é moralização do serviço público, ao menos no caso da Ciretran, não deve mexer.

Só pra constar, o cargo de Sergio tem sido disputado “a tapa” por algumas pessoas ligadas ao deputado Nilson Leitão e à ex-prefeita Maria Izaura.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top