Capa / Alta Floresta / ‘Lar Santa Isabel’ acolhe homens em vulnerabilidade social e os capacitam para voltar ao mercado de trabalho

‘Lar Santa Isabel’ acolhe homens em vulnerabilidade social e os capacitam para voltar ao mercado de trabalho

Bruno Felipe
Da reportagem

Lar Santa Isabel - EntradaA Igreja Católica de Alta Floresta criou em junho de 1988 a ‘Fundação Servir’, com o objetivo de contribuir na formação cívica e moral do povo altaflorestense. Atualmente, a fundação permeia alguns departamentos e um deles é o Lar Santa Isabel. O lar, é uma casa de passagem que atende pessoas do sexo masculino que se encontram em situação de rua com risco pessoal e vulnerabilidade social, resgatando a autoestima, garantindo o direito à cidadania e reintegrando ao seio da família e da sociedade. De acordo com o coordenador do lar, Pedro Afonso, a instituição acolheu de Janeiro à Setembro de 2017 um número de aproximadamente 650 homens.

Segundo o coordenador, a instituição caracteriza-se como um lugar que oferece proteção e ambiente com estrutura física adequada, oferecendo condições de higiene, salubridade, segurança, acessibilidade e privacidade, sendo uma alternativa de moradia que, embora provisória, oferece um clima familiar com atendimento personalizado. Pedro explicou que cabe ao serviço não só zelar pelo bem-estar dos moradores, mas também proporcionar condições para que estes retornem ao convívio familiar.

Muitos homens recorrem ao lar quando a possibilidade de sobreviver sem emprego afeta as condições sociais. Atualmente existe 14 homens morando dentro do lar, dentre eles moradores de outros municípios que chegaram em Alta Floresta para conquistar um emprego, mas que infelizmente não conseguiram, ficando sem condições de se sustentar. A instituição oferece aos moradores, além de tratamento médico, o atendimento psicossocial através de parceria com a Prefeitura Municipal, por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).

d33e6a82-6179-4389-8c92-2c4fbd9a3967Os moradores do lar sobrevivem de doações da comunidade em geral e também por parte dos clubes sociais, como o Rotary Club. Além disso, eles cuidam da própria horta, que serve de alimento e serviço para capacitação de mão de obra. “A gente procura incentivar eles no máximo para que caia no mercado de trabalho, e assim que é a formação aqui dentro”, explicou Pedro em entrevista ao Jornal O Diário. Ele ressaltou que quem deseja realizar alguma doação que se faz necessário se deslocar até a casa, localizada na Avenida Geny Silvério Dalarincy, N° 83, no bairro Jardim Panorama. Pedro frisou que neste período de frios intensos, os moradores necessitam, principalmente, de agasalhos.

Atualmente existem 5 funcionários trabalhando no lar, dentre cozinheira, guardas, motoristas, coordenação e a assistente social. Aos domingos, as comunidades rurais e urbanas da paroquias Santa Cruz e Bom Pastor celebram junto com os moradores do Lar e preparam o almoço, como forma de socialização e envolvimento, além de propiciar aos mesmos a oportunidade de participar da vida em comunidade. “Já passou pessoas por aqui, desde pessoas analfabetas desde pessoas com cursos superiores, que cai na vida, fica aqui e se reergue um pouco e cai no mundo do trabalho novamente”, concluiu Pedro.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top