Últimas Notícias

ARTIGO: Quem será o Homem do 5.° andar de Alta Floresta?!…

TobiasO venerável e heroico Ariosto da Riva, quando, imitando Brasília, traçava o plano da cidade de Alta Floresta, determinou que o máximo de andares permitido para ser construído seria quatro. De cinco para cima ficou proibido até há pouco, isto é, até 2014, ano em que o Prefeito Asiel Bezerra e Dr. Aarão Lincoln Sicuto, através da Lei n.° 2.219, de 13 de outubro de 2014, publicado na Revista Associação dos Municípios de Mato Grosso-AMM, liberaram a construção de prédios em Alta Floresta, de quantos andares o empresário ou a empresa quisessem.

Por isso, hoje, o que o habitante de Alta Floresta vê em sua progressista e trepidante cidade são prédios no máximo com quatro andares. Ora, se há uma coisa ou um termômetro que mede e revela uma cidade com ares de grande cidade ou de capital são seus arranha-céus. E, nesse particular, sobretudo por causa da lei dos quatro andares do seu fundador, a cidade de Alta Floresta está esperando “quem será o homem do 5.° ou do 10.° andar de Alta Floresta?”

Um dia, este herói há de aparecer e fazemos votos para que seja o mais cedo possível. Então, a gente, de longe, ou ao estar chegando de carro ou de ônibus em Alta Floresta, ou de avião, ou das periferias, ou seja de onde for, poderá dizer para os filhos, os amigos, os visitantes e pessoas das cidades vizinhas:

“Oh! Que predião bonito!”

“Alta Floresta, já faz tempo merecia um arranha-céu!”

“Está de parabéns o fazendeiro Chicão, o homem que terá a ousadia de levantar o primeiro prédio de mais de quatro andares!”

Prof. Dr. José Antonio Tobias

 

Um comentário

  1. Pois é, Dr. Tobias…
    Um homem tão letrado como vc dizer barbaridades desse tipo, dá até arrepio… No conceito global do desenvolvimento em benefício do homem, o equilíbrio das coisas ao seu redor é que lhe dará a certeza do aumento da sua longevidade… Vc é um exemplo de como chegar à sua idade com tamanha lucidez, mas olhe em volta de sí e poderá ver que o seu caso é uma exceção, e nunca se deve trabalhar com as exceções, mas com as regras. Arranha-céus são sinais de benefício para o bem estar do homem? Pq, então, vc se isola junto à natureza todos os finas de semana, na beira do Rio Teles Pires?… Segundo a sua visão neste artigo, seria mais proveitoso vc viajar para centros urbanos onde se possa conviver com grandes prédios que massacram a natureza, não o inverso disso, como vc costuma fazer em Alta Floresta…. Ao cimentar a natureza, desaparece a natureza do homem, que se perde em meio às sombras das obras mal feitas pelo próprio homem… O conceito arquitetônico de Alta Floresta beneficia o homem, e o seu crescimento deveria, sim, se estender com maior força horizontalmente, posto que o local onde a cidade foi plantada parece ter sido escolhido sabiamente pelo Sr. Ariosto pela homogeneidade do seu relevo, permitindo-se o seu aumento urbano seguindo a linha do horizonte quase que indefinidamente. Lembre-se das áreas verdes deixadas entre os setores centrais da cidade, um exemplo de preocupação para trabalhar bem a natureza… Eram locais não só para preservação da natureza para o bem estar do homem, como também para conter toda água acumulada no asfalto durante as chuvas, novamente para benefício do homem… Hoje, a cidade já começa a ver as consequências desse desastre, de eliminação daquelas áreas… Basta dar uma passada na Avenida Perimetral depois de uma chuva forte… As ruas asfaltadas naquilo que seria área verde tornaram-se verdadeiros canais de drenagem para a parte baixa da cidade… Estamos no começo dessa consequência… As coisas vão ficar mto piores… Quem viver, verá… Não tive e não tenho qq relação com o Sr. Ariosto e a sua família, mas, mesmo leigo em assuntos de urbanização, posso perceber, assim como qualquer cidadão com lucidez, que o Sr. Ariosto se preocupou em harmonizar o crescimento de Alta Floresta com melhor qualidade de vida para os seus habitantes, e certamente que arranha-céus não são trunfos para todos os homens, mas tão somente para diminuto grupo de exploradores econômicos. Imagine, Dr. Tobias, uma cidade com um milhão de habitantes e mais, entremeada pelo verde em todos os seus cantos e recantos, sem os labirintos e sombras dos arranha-céus, convivendo com o trabalho, sustentando a família, abraçado à natureza, dentro dessa cidade, como vc tão sabiamente busca em todos os finais de semana, fora dela….!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top